Derrota antecipada do Grupo Motta em Patos.

Numa sessão bastante tumultuada na noite desta quarta-feira (04), na Câmara Municipal de Patos, o líder do governo, Almir Mineral, acabou retirando o Projeto de Lei n. 36/2011 de autoria do Executivo, que previa a venda, através de leilão, de terrenos e imóveis públicos para construção do novo Centro Administrativo de Patos.

Instantes após a sessão ser aberta, Almir Mineral anunciou oficialmente a retirada da pauta de votação do Projeto, após as emendas apresentadas pela bancada do governo serem rejeitadas pelos vereadores Edmilson Araújo (PSD), Zé Motta (PMDB), Ivanes Lacerda (PSDB) e Edileudo Lucena (PT).

As emendas apresentadas garantiriam a participação popular e dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário no processo de desafetação, leilão e posterior construção do Centro Administrativo.

O líder do governo, Almir Mineral disse que os vereadores foram manipulados por partidos políticos de oposição, e os vereadores não tiveram coragem de afrontar a ordem de seus superiores, atrasando assim o desenvolvimento da cidade.

Segundo Almir, todos os questionamentos levantados pela oposição foram contemplados nas emendas e, mesmo assim, não aprovaram o projeto de leilão público, comprovando que eles não queriam transparência, mas, desde o começo, queriam derrotar o projeto, que é benéfico para a população e para o desenvolvimento de Patos.

O caso que mais chamou a atenção foi o do vereador Edmilson Araújo que, segundo informações de bastidores, teria sido pressionado por seus superiores que disseram que caso Edmilson votasse favorável, o mesmo não teria legenda para se candidatar a vereador pelo PSD.

Ao se referir ao vereador Edimilson Araújo, Almir disse que o mesmo estava com “mais de cem empregos no estado, e por isso, teria que seguir as orientações do governador”. “Minha postura foi sempre essa. Eu não mudei minha conduta aqui, mas o vereador não pode dizer o mesmo” respondeu Ivanes Lacerda.

O presidente da Câmara Municipal de Patos, vereador Marcos Eduardo, chegou a insinuar que um dos membros do governo de Ricardo Coutinho – PSB presente à sessão veio corrido de Rondônia e o seu pai era traficante e o mesmo também.

No final da sessão, aos gritos dos manifestantes e anarquistas, os vereadores de oposição deram as mãos e se dirigiram às galerias com gesto simbólico de vitória.

Almir disse que quem perde é Patos que ver atrasado seu processo de desenvolvimento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: